Mostrando postagens com marcador Videogame. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Videogame. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Diário Quarentena - Coronavírus (COVID-19). Dia 66.

Segunda, 25 de maio de 2020.

Meu dia:
Hoje fui um dia frio e preguiçoso.
Fiz home office, organizei alguns jogos de PSP e toquei um pouco de ukulele.
Descansei do dia de ontem, que foi bem selvagem.

Já estava pensando em fazer uma lista de jogos, e hoje é um dia bem apropriado.
Alguns dos meus games favoritos, por terem marcado em algum momento.

Esse videgame vai denunciar minha faixa de idade... :-)
Lembro quando cheguei em casa e vi River Raid na tela da pequena TV, não acreditei. Meu pai havia comprado um videogame! Eu só tinha oportunidade de jogar, com alguma sorte na casa de algum amigo ou vizinho. Não era tudo mundo que tinha. E na verdade o nosso videogame não era um Atari, era algum clone, muito comum naquela época.

Bobby is Going Home. Ganhei esse jogo da minha Madrinha. Fiquei muito contente, o jogo é bom.
Air-Sea Battle. Esse jogo era muito simples e incrível na época. Joguei muitas partidas com meu Pai.
Flash Gordon.

Esse foi o primeiro videogame que comprei. Lembro vagamente de ter guardado um dinheiro então chamei meu irmão e fomos até o centro de São Paulo e consegui achar um Turbo Game da CCE. Um aparelho muito simpático.
Não lembro que veio com algum jogo, acredito que sim, com alguma coletânea. Devo ter comprado mais algum cartucho no dia.
Esse videogame preencheu minhas noites em que a vida era "de casa para o trabalho e do trabalho para casa", isso é normal, mas eu havia saído de uma rotina de muitas apresentações musicais bem bacanas (tirando o repertório musical). Como eu era jovem, essa mudança meu jogou na melancolia. Então passava o tempo jogando o pequeno videogame para passar o tempo, apesar de já na época ser um aparelho "sem sal", apenas um quebra galho...

Super Mario Bros. Foi o primeiro (e um dos poucos) que terminei. Eu usava as famosas warp zones, então nunca passei pelas primeiras fazes. Meu objetivo era sempre terminar o jogo mais e mais rápido.
Sempre humilhava o ultimo chefão, usando a velha técnica do polegar sobre os botões B e A.
"Serto, então mostra ai...": Não consigo mais.
F-1 Race. Jogo isso até hoje no meu SUP.
Road Fighter. Outro que me trás muita nostalgia. Jogo isso até hoje no meu SUP.
Ikari Warriors. Eu adorei esse jogo desde quando vi.
Jackal. Não lembro que joguei isso na época do Turbo Game, mas adoro jogar no SUP.
Ice Climber. Esse é um jogo muito simples, mas ótimo para jogar com um tempinho livre.
Excitebike. Mais um clássico manjado no nintendinho.
Depois de mais de 10 anos eu comprei um Magic Computar Pc95 para distrair meus filhos nos finais de semana que eles vinhão para minha casa. Joguei um pouquinho na época. Não sei que fim levou esse aparelho.

Esse foi segundo videogame que comprei.
Um aparelho original, não era fabricado no Brasil na época que comprei. Tive que encomendar na locadora que eu frequentava. Já havia alugar um aparelho na mesma locadora algumas vezes. O aparelho era impressionante, geralmente jogávamos Street Figher II - The World Warrior, e o jogo tinha vozes!
Eu vendi as minhas férias e guardei o dinheiro para conseguir comprar o aparelho.
Quando chegou, fiquei muito ansioso ao ir buscar. Era um SNES Baby, só vinha o videogame e um controle, e foi isso que eu trouxe para casa com meu dinheiro contado. Por sorte minha irmã falou para eu pegar um cartucho que ela pagava. Volte na locadora que era bem longe de pé e peguei o Street Figher II - The World Warrior.

Street Figher II - The World Warrior. Esse jogo era absoluto na época, muito impressionante e todos só queriam jogar isso. Com pouca técnica eu arrebentava os dedos jogando. Esse jogo era original dos fliperamas, que não costumava jogar. Já meu irmão era um enciclopédia no assunto, além de ter muita habilidade. Apesar de ser muito irritante jogar com ele até hoje, ele me ensinou tudo.
Mario Kart. Esse jogo tem muito do clima da Nintendo: O fator diversão muito acima da média. Foi o primeiro jogo que vi usando o Mode 7. Fiquei muito impressionado. Era um jogo de corrida totalmente diferente do que eu havia visto, inclusive você podia pegar contramão! Mas o que era mais bacana era os itens que você poderia usar para "roubar", mas como esses itens estavam disponíveis e dentro das regras do jogo, não era roubar... :-)
Super Metroid. Jogo incrível. Terminei com meu irmão e amigos, com a ajuda de um guia, que está guardado na casa da minha Mãe.
Donkey Kong Country. Esse jogo foi um dos últimos suspiros do Super Nintendo. Era bem impressionante para a época.
Street Fighter II Turbo: Hyper Fighting. Foi o primeiro de dois cartuchos que comprei. Esse jogo era fantástico para a época. Fui sem dúvidas um dos jogos que mais joguei, e jogava muito bem.
Mortal Kombat II. O segundo cartucho de 2 que comprei, outro grande acerto, apesar de ter ficado com 2 jogos de luta, ambos eram incríveis e nos trouxe muito tempo de diversão.
Top Gear. Um clássico muito manjado no SNES. Muito divertido.
Ultimate Mortal Kombat 3. Esse jogo era "cavalo"! Cheio de opções e códigos. Joguei esse por alguns dias, mas é um jogo digno de nota.
Star Fox. Esse foi um jogo revolucionário. Seguindo o padrão da Nintendo, muito divertido e cheio de quebra cabeças. Aluguei e joguei muito.

Depois do Super Nintendo eu pulei para o PC:
Quando comprei meu primeiro computador eu nem sabia para que servia. Só segui o ripe mesmo.
Era um Pentium 100 com 4 MB de Ram e 1 GB de HD.
O aparelho veio com vários CD's bacanas, algumas demos de jogos no meio dos CD's.
Esse época fui marcado com:

Doom. Apesar de toda violência esse jogo tem muito quebra cabeça. Dá trabalho terminar, mas consegui.
Duke Nukem 3D. Talvez o jogo em primeira pessoa mais marcante dos anos 90. Vale muito jogar um pouquinho.
Shadow Warrior. Mais um jogos em primeira pessoal muito bem construído. Destaque para o som.
Blood. Esse é imperdível para quem gosta de filmes de terror e o tema em si. Jogo bem sinistro.

Não tive um Playstation (1), mas joguei até que bastante.
Street Fighter Alpha 3. Um dos meus jogos favoritos. Não se engane: Não sou bom, só gosto do jogo. Mas até joguei bem na época, até porque fiz o World Tour algumas vezes.
MediEvil. Esse eu adorei talvez por conta da temática, que juntava um pouco de terror com fantasia. Bem ao estilo Tim Burton.

Hoje eu jogo mais emuladores e videogames portáteis. Que tem ajudado a passar o tempo nessa quarentena maluca.

Lógico que joguei muito mais jogos que isso, só no PC deve ter uma lista incrível, mas esses acima foram os mais marcantes.
Como podem ver sou um retrogamer, pois não mencionei nenhum jogo novo. além de ser um nintendeiro. E é isso mesmo. :-)
Além de ser um jogador casual.
Ainda bolando uma forma de pegar um Nintendo Switch. :´-(

Por hoje é só.
#FicaEmCasa

Links:







sábado, 23 de maio de 2020

Diário Quarentena - Coronavírus (COVID-19). Dia 64.

Sábado, 23 de maio de 2020.

Meu dia:
Hoje tive um dia confortável, dentro de casa como sempre.
O dia foi bem frio, muito mais agora a noite.
Acho que joguei bastante videogame, me reencontrei com o MediEvil, que me trouxe muita nostalgia, apesar de achar que não terminei na época do Playstation (1). Acho que fiquei fascinado pelo clima do jogo, o tipo de dificuldade e os quebra-cabeças. Recomendo.
A Bebê está muito carinhosa hoje.
Hoje houve uma apresentação de banda marcial por volta das 19h00, sempre fico emocionado com música. Todo evento que quebra a rotina trás esperança nesse momento tão difícil e incerto. Eles deram a volta o quarteirão, eu vi e ouvi da janela, porque o frio já estava trincando.
Hoje de madrugada tive a felicidade de assistir o filme "Sem Destino", um filme antigo, bem alternativo, um clássico inquestionável. Recomendo muito.
Meu sono a noite não foi das melhores, com algumas interrupções, mas tudo bem.
Hoje, após reclamar na Anatel, finalmente acertaram minha Internet.
Fiz uns testes de estresse e não caiu.

Acho ou ao menos espero que eu saia dessa experiência engrandecido.
A exemplo de outras experiências ruins, sempre há o que aprender.

Política:
Fiquei atônico com o caso da reunião ministerial ontem, foi sim um dos motivos da insônia. Acho que apenas os apoiadores mais fervorosos do Governo Federal não se incomodaram.
É uma pena isso acontecer logo depois de uma reunião entre os Governadores dos estados.
Acho que isso nos traz mais incertezas, em vários aspectos.

Hoje o dia foi tão preguiço que pela primeira vez me questionei se iria escrever algo aqui ou não, ou seja, fiquei com preguiça. :-)

Por hoje é só.
#FicaEmCasa e usa máscara.

Links:





terça-feira, 29 de agosto de 2017

Dia do Gamer. 29/08.

Dia do Gamer. 29/08.